*Carmem Miranda* – Eterna Diva

*A Bela Carmem*

Carmem Miranda, cujo nome verdadeiro era Maria do Carmo Miranda da Cunha, nasceu em Portugal no dia 9 de fevereiro de 1909 e veio para o Brasil ainda bebê com sua família. Isso todos nós sabemos. Carmem era portuguesa de nascença, mas de alma e coração brasileiros, isto ninguém pode negar. A “pequena notável” como ficou conhecida por causa de sua baixa estatura e grande talento, se tornou uma das maiores estrelas que o mundo conheceu e, sem dúvida, a maior do Brasil! A intenção não é contar aqui a vida da Carmem (quem quiser saber mais sobre a vida da diva pode visitar a página referente à Carmem na wikipédia), mas sim homenagear esta que foi a nossa maior representante.

Ela foi uma artista muito importante para o Brasil. Já no início de 1930, ela tinha amizade com compositores que passaram a admirar seu talento e a promovê-la, mas ela já cantava muito antes disso. Da pensão onde ajudava a mãe com os hóspedes às gravadoras, foi um pulo, fazendo um sucesso estrondoso nas rádios de todo o país. Carmem ficou muito famosa cantando as fofas “marchinhas de carnaval” como, por exemplo “Pra Você Gostar de Mim” (“Taí”), ou ainda, esta que estamos sempre cantarolando:

Carmem fazia muito sucesso nas rádios, no carnaval e nas casas de show, principalmente nas casas cariocas. Sempre cantava com muita alegria suas dançantes músicas e foi esta imagem que ela nos deixou. Um fato importante que ajudou a consagrá-la foi o seu visual. Um figurino alegre, com muitas cores, balangandãs, o chapéu de frutas, as pulseiras coloridas e as plataformas ficaram famosas em todo o  mundo. Uma baiana muito simpática que alegrava qualquer lugar por onde passasse.

Foi por causa desse talento que os americanos se interessaram por Carmem. Além de admirarem os seus números dançantes, suas características latinas e visual super tropical (é normal ver por aí pessoas vestidas como ela, mas para representar os cubanos ou os países latinos em geral) tinha a tal da “Política da boa vizinhança”, onde os americanos presenteavam os amigos latinos com personagens como o Zé Carioca, para ganhar aliados políticos na segunda guerra mundial, mas essa é um outra história.

A pequena notável fez fama também nos Estados unidos. Seus shows lotavam casas de shows em todo o país, cantava nas rádios e até para o presidente (que na época era Franklin Roosevelt). A linda brasileira/portuguesa passou a ser figura constante na mídia e vida americana. Olhem só alguns exemplos abaixo:

A querida Lucy do famoso programa americano “I Love Lucy” dando uma de carmem Mirada

Até os gatinhos do adorado desenho “Tom e Jerry” se inspiram na estrela:

Além do sucesso musical, Carmem passou também a estrelar filmes. A maioria deles musicais onde ela intrepretava e cantava suas já famosas músicas. Eu adoro os filmes dela, principalmente “Uma noite no Rio” e “Aconteceu em Havana”. Foram vários os filmes estrelados por Carmen:

Nossa diva morou muitos anos nos Estados Unidos e sempre voltava para o Brasil, muitas vezes sendo recebida com hostilidades e sendo acusada de ter se “Americanizado”. Teve vários romances ao longo de sua vida e um péssimo casamento. Também teve muitos problemas de saúde devido ao uso de barbitúricos para aguentar a dura jornada de viagens e shows. Assim como muitos artistas, Carmem morreu por causa das drogas. Faleceu no dia 5 de agosto de 1955 em Beverly Hills, vítima de complicações cardíacas. Foi sepultada no Rio de Janeiro.

Carmem fora dos palcos era uma mulher muito bonita e elegante. Claro que preservava um pouco dos excessos de sua baiana com frutas tropicais na cabeça, mas fazia isso com muita classe.

Costurava muitas de suas roupas de show e também do seu dia-a-dia. Virou sinônimo de beleza e de moda para muitas mulheres de várias décadas.

Depois de sua morte, como acontece muitas vezes, Carmem passou a ter o seu trabalho reconhecido no Brasil, deixando para trás aquela história idiota de “americanizada”. Em todos os cantos do mundo é possível ver referências a esta que foi, volto a ressaltar, a nossa maior estrela. Virou boneca, selo comemorativo dos correios, peça de teatro, exposição, livro! No ano de 2006, o Memorial da América Latina (aqui em Sampa), fez uma exposição maravilhosa sobre ela. Textos que contavam toda sua história pessoal e sua carreira, peças de seu guarda-roupa, a máquina singer que ela usava para costurar, sessões de seus filmes. Fiquei encantada e não queria mais sair de lá, mas pude notar também que, 90% dos visitantes eram da terceira idade, pessoas que provavelmente acompanharam um pouco da carreira dela. Espero que as novas gerações ajudem a resgatar a memória da querida Carmem Miranda.

Deixo vocês com a minha música preferida, cena de um de meus filmes preferidos! Bye Bye!!!

 

Published in: on 16 de janeiro de 2010 at 7:29 pm  Deixe um comentário  
Tags:

The URI to TrackBack this entry is: https://misslittlecherry.wordpress.com/2010/01/16/carmem-miranda-eterna-diva/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: