Tatuagem: Marginalidade ou Arte?

Gente, esta foi uma curta reportagem que fiz para um trabalho da faculdade! Faço jonalismo e, sempre que possível, escolho temas relacionados ao meu universo: Rock, tatuagem, pin-ups, moda, cultura alternativa e underground para as minhas reportagens! Desta vez não foi diferente. Escolhi falar de como a tatuagem está ganhando cada vez mais espaço na nossa sociedade e como ela sempre foi um tipo de arte presente na nossa história! Espero que apreciem! Beijokas…

Tatuagem: Marginalidade ou Arte?

A tatuagem é uma forma de modificação e arte corporal. Trata-se de fazer um desenho na pele utilizando pigmentos e agulha, fazendo com que esta figura fique permanentemente sobre a pele. Esta é uma técnica milenar entre os seres humanos. É possível constatar, através de explorações arqueológicas, que o homem já pintava o corpo desde a pré-história.

Povos como os egípcios (4.000 A.C.), os Vikings e os nativos da Polinésia, Filipinas, Indonésia e Nova Zelândia (Maori) já tatuavam seus corpos em rituais religiosos e sociais, para se defenderem de espíritos ruins ou para demonstrarem coragem perante seus inimigos. Outros povos antigos como os índios americanos, os maias, os aborígines e os japoneses também marcavam seus corpos com tatuagens.

Ao longo da nossa história, a tatuagem sempre assumiu papéis diferentes. Já foi símbolo de beleza, bravura e respeito mas também foi sinônimo de marginalidade. O contato do ocidente com a tatuagem foi no século 18. Com as grandes navegações e explorações, os marinheiros traziam novas descobertas do pacífico, entre elas a arte da tattoo. Virou moda entre a realeza inglesa mas nunca perdeu seu estigma marginal. A tatuagem sempre foi associada aos marinheiros, portos repletos de prostitutas e drogas.

Por isso, quem se tatuava era considerado marginal, sofrendo duras penas que chegavam até a morte. Nos últimos anos, a arte da tatuagem ganhou respeito e admiração. Hoje em dia é muito comum pessoas com tatuagens, grandes ou pequenas. A arte corporal caiu no gosto das classes mais altas e virou uma espécie de ‘moda’. Não no sentido de novidade, mas sim de aceitação por parte da sociedade. Ela saiu da clandestinidade para ganhar as ruas.

Neste novo século, a tatuagem ultrapassa barreiras sociais, e podemos ver pessoas mais velhas, que sempre tiveram vontade de fazer uma tatuagem  quando jovens e não tinham coragem, frequentando estúdios com seus filhos e netos. O preconceito ainda existe, mas bem reduzido. Muitas pessoas tem na tatuagem, uma forma de expressão artística única, já que é uma arte muito pessoal e marcada na pele para sempre. Muito deste reconhecimento se deve ao trabalho de grandes artistas que criam verdadeiras obras de arte : Os tatuadores.                                 

  

Leo Tressino é um desses artistas. Tatuador há mais de oito anos, escolheu a profissão porque vê a tatuagem como arte. Leo conta que tatua em média 10 pessoas por semana, mas que prefere a qualidade em vez da quantidade. “Isso varia muito de cada tatuador. Acho que o mais coerente é dar uma atenção especial para cada desenho, para fazer um belo trabalho e sim mostrar a arte que é a tatuagem, muitos tatuadores nãos se importam com isso, prejudicando quem trabalha com seriedade.” conta ele. O tatuador concorda que o preconceito em relação à tatuagem diminuiu.

O Tatuador Leo Tressino

 “Em países de primeiro mundo é muito comum ver pessoas com tatuagens bem visíveis, inclusive em cargos importantes em seus trabalhos. No Brasil ainda tem muito aquele papo de ‘vou fazer mas em um lugar escondido por causa do meu trabalho’. Besteira isso, as próprias pessoas criam o preconceito sendo que o que vale realmente é seu caráter e sua experiência profissional”, comenta Leo. Segundo ele, a faixa etária de seus clientes é de 18 a 30 anos, mas o público mais velho tem aumentado também.

Contatos Leo Tressino:

SICK ‘N SILLY TATTOO STORE Al Jaú, 1529 – Jardins –SP    Tel: (11) 3081 3899

leotattoo@sickmind.com.br / www.myspace.com/leotattoo

www.fotolog.com.br/leotattoo

Viviane Ferreira

As tatuagens costumam assumir papéis importantes na vida das pessoas. Quem faz uma tatuagem, geralmente busca representar algum fato marcante. É o caso da estudante de jornalismo Viviane Ferreira. Ela optou por fazer sua tatuagem para cobrir uma cicatriz. “A minha primeira tatuagem é de uma cerejeira, que têm um significado interessante para os asiáticos – simboliza a vida. E a Deusa do anime ‘Oh my Goddess’, a ‘Belldandy’. Foram várias sessões para definir qual desenho esconderia a cicatriz da minha perna esquerda”. Viviane observa também que, mesmo nos dias de hoje, ainda existe certo preconceito em relação a tatuagens. “Já passei por situações desagradáveis de alguém comentar de forma pejorativa. Claro que não é legal, e dá vontade de responder, mas aí você releva e pronto. Na próxima esquina já terá outro elogiando e te parando para perguntar onde você fez e achando linda”,

Alexandre Mapeli

O livreiro Alexandre Mapeli fez sua primeira tatuagem aos 22 anos. Para ele, todas possuem significados importantes e representam fatos importantes de sua vida. “Sempre tive um certo fascínio por tatuagens mas demorei muito tempo para decidir fazer uma e escolher o desenho. Em primeiro lugar pela reação da minha família e em segundo porque queria fazer algo com significado e não um desenho qualquer. Minha primeira tatuagem foi uma imagem de um Mjölnir, ou mais conhecido como Martelo de Thor (filho de Odin na mitologia nórdica) que simbólicamente tinha muito significado em minha vida.”, afirma ele. 

Alexandre faz de suas tatuagens uma forma de expressão, já que os desenhos representam um pouco de seu universo. Ele possui tatuagens que retratam seu gosto musical underground, tendo tatuado o símbolo da banda ‘Einsturzende Neubauten’ ,  suas crenças no paganismo europeu e na cultura nórdica.

 

  Dicas Para Marinheiros de Primeira Viagem

•Pense bem antes de fazer uma tatuagem para não se arrepender depois.

•Procure um profissional com boas referências, já que é um trabalho irreversível apesar do tratamento a laser.

•Siga a risca todos os cuidados apontados pelo tatuador para que a sua tatuagem cicatrize perfeitamente.

•Tatuagem exigem cuidados posteriores: Use sempre protetor solar, não fique muito tempo com a tatuagem exposta ao sol, sempre passe hidratante na pele.

•Em uma sessão de tatuagem a dor e o nervosismo podem causar mal-estar. Então procure dormir bem e se alimentar corretamente antes de uma sessão.

  Curiosidades

•Os pioneiros modernos da tatuagem foram Sailor Jerry e Cindy Ray.

•A Múmia mais antiga do mundo foi encontrada em 1991, na Itália e data de 5.300 A.C. Ela conservou-se congelada em um bloco de gelo e tinha tatuagens acompanhando toda a espinha dorsal, além de uma cruz numa das coxas e desenhos tribais por toda a perna.

•A palavra tatuagem (tattoo em inglês) tem sua origem em línguas polinésias. Vem da palavra ‘Tatau’.

•Antigamente, as tatuagens eram feitas com ossos finos como agulhas e um martelinho para introduzir a tinta na pele.

Marginal ou não, com certeza é uma arte!!!

Published in: on 9 de maio de 2010 at 6:13 pm  Comments (3)  
Tags:

The URI to TrackBack this entry is: https://misslittlecherry.wordpress.com/2010/05/09/tatuagem-marginalidade-ou-arte/trackback/

RSS feed for comments on this post.

3 ComentáriosDeixe um comentário

  1. Adorei sua matéria minha querida…
    Só que achei muito longa para ser públicada em um site, revista… Até para ser usado como sugestão de pauta. Dá uma encurtada nos seus textinho que estará perfeito.
    Mas,se sua intenção foi fazer uma matéria de tv está perfeito, só que uma dica comece o texto contando as curiosidades que você colocou no final!

    Mil beijos,
    Teca

  2. Oi Teca,
    Muito obrigada pela visita e pelo comentário.
    Realmente, esta é uma matéria que foi criada para um HOT SITE e eu resolvi publicar no blog. Mas realmente não concordo que esteja longa, até porque o que mais temos na internet é conteúdo para quem gosta de ler né? Sem contar que seria uma matéria muito boa para veículos impressos como revista, pelo formato e pela linguagem, mas não para TV. A linguagem para tv possui muitas peculiaridades e, uma delas, é ser objetivo e curto, a não ser que seja uma reportagem especial não é mesmo?
    Apareça mais vezes…

    Beijokas

  3. Parabéns por essa matéria incrível! Me ajudou muito em um trabalho da minha faculdade!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: