Ô Vício Que Não me Larga…

Quantas vezes vocês já leram aqui que quero parar de comprar Melissas? Muitas com certeza, mas o vício é difícil viu? Quando vão inventar as “Melisseiras Anônimas”? Porque se eu contar as peripécias que já fiz por causa de um par de melissas… Quando vi os primeiros modelos da coleção de verão pensei: Ufa, só tem modelo feio, não vou gastar nada dessa vez! Ledo engano né?? Já me apaixonei por quatro modelos, e olha que ainda nem prestei muita atenção nela…

Combinação perfeita: Coração +Vermelho + chinelinho super confortável

Eu amo a marine por causa do pom pom. Na Kali ficou MARA!

Clássica né? Mas com o lacinho ficou pefeita!

Amei essa cor e a caveirinha! E Lady Dragon é Lady Dragon...

Tratamento Urgente!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Published in: on 7 de agosto de 2010 at 4:17 am  Comments (2)  
Tags:

Promoção no “Thoughts in Excess”

Gente, a querida Nany do blog Thoughts in Excess irá sortear no dia 15 de agosto, um perfume da Fergie para as blogueiras de plantão 😀

Lá no blog você encontra tudo explicadinho para poder participar! Eu espero que seja meu…rsrsrs

http://thoughtsinexcess.blogspot.com/

Published in: on 4 de agosto de 2010 at 4:50 am  Comments (1)  
Tags:

I Love “The Smiths”

Tudo bem que tenho um espaço especial para falar de música, mas não resisti, precisava falar da minha admiração por esta banda! Eu sou apaixonada por anos 80 e, consequentemente, por uma das melhores bandas do pós-punk: The Smiths e seu fantástico vocalista Morrissey!!!

As letras são maravilhosas, tratam de amor, de raiva, de vida… As melodias são uma delícia. Na minha opinião de fã, e também de crítica, todas as músicas são de boas à ótimas. Outro motivo para falar do The Smiths é o Morrissey. Depois do término da banda, ele seguiu carreira solo fazendo um ótimo trabalho. Ele é super fã dos anos 1950 e de figuras como Elvis Presley e James Dean, nunca dispensa o topete (lindo!!!) e o conjunto camiseta branca e calça jeans, além de ser fã do grande Oscar Wilde…Aiai

Por ser tão fã da cultura retrô, muitos dos clipes do The Smiths possuem essas características. Escolhi duas músicas que amo e que dá para peceber esta influência vintage na estética da banda. Espero que quem adora a banda tanto quanto eu curta bastante e,se alguém ainda não conhece, que passe a gostar…rsrsrsr

Published in: on 3 de agosto de 2010 at 4:27 am  Comments (4)  
Tags: , ,

Eu queroooooooo

Como sou muito masoquista, fico fuçando pela internet à procura de roupas maravilhosas que não vou comprar nem tão cedo, mas quem sabe um dia não realizo meu sonho de achar uma ótima costureira que faça tudo do jeitinho que eu quero!? Achei esses modelos maravilhosos e postei aqui para vocês babarem também…

Gostou? Então dá uma olhada lá no Pin-up Girl Clothing:

http://www.pinupgirlclothing.com/

Published in: on 3 de agosto de 2010 at 1:11 am  Deixe um comentário  
Tags: ,

Adesivos Para as *Unhas*

Os esmaltes fazem parte do nosso visual (do nosso dia-a-dia) e se tornou um poderoso acessório de estilo! Não vivemos sem ele e, agora com toda essa moda que trouxe cores diferentes e espetáculares, nossa paixão aumentou ainda mais né? Para quem já possui todos os lançamentos da indústria de cosméticos (efeito matte, flúor, vermelhos e pinks…) uma novidade promete colar: Os adesivos para unha!!!

Nos estados Unidos e na Europa já virou febre (como sempre né??) entre as celebrities que andam exibindo as unhas adesivadas por aí…

Além da facilidade de uso, já que é so aplicar (mas dá um trabalhinho colocar certinho…) na unha, sem precisar limpar, nem esperar secar, existe uma variedade imensa de desenhos e cores, dá até para personalizar uma foto. A marca mais famosa é a MINX, mas é possível encontrar de outras marcas também. Infelizmente ainda não chegou por aqui, mas já dá para comprar pela internet (com custo aproximado de 15,00 dólares). Até chegar, ficamos babando…

Published in: on 2 de agosto de 2010 at 11:43 pm  Comments (2)  
Tags: , ,

Happy Birthday To Me!!!!!!!

Genteeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee.

Hoje, 26 de julho, é meu aniversário 😀 Geralmente fico um pouco chatinha com esta data por alguns motivos, principalmente o avanço da idade…rsrsrs! Mas é só receber o carinho dos familiares e amigos que tanto amo que já fico feliz de novo!!! Obrigada à todos que participam da minha vida e que fazem esta data ser tão especial!!!

O meu dia mal começou e já ganhei vários “Mimos” que amei:

Eu amo ganhar livros e este do Saramago é lindoooo!

Este é um livro fofo que vem com o figurino da Marilyn para montar. Claro que eu nunca vou recortar ele né? Detalhe do papel de presente também dela!

Minha linda pulseira de poás e renda e o meu anel com rosa de cetim negra! Lindos, adorei!!!

E claro, não poderia comemorar com outra música que não fosse essa que faz parte do set list da minha existência:

Published in: on 26 de julho de 2010 at 6:03 am  Comments (3)  
Tags:

Art Frahm – Opss, Caiu!!!

Queridas leitoras, estava sentindo falta de falar dos gênios criadores das nossas queridas pin-ups, então escolhi um que gosto bastante também: Art Frahm.

Este artista possui um trajetória muito parecida com os outros artistas que já citei por aqui: Americano, nascido em 1907 (e falecido em 1981), era artista publicitário e trabalhou com várias marcas famosas, como a Coca-Cola. Art vivia em Chicago e o auge de seu trabalho foi entre 1940 e 1960 (auge também das pin-ups). O que mais gosto no trabalho deste artistas, são as situações inusitadas em que as belas se encontram. Estão sempre em uma situação complicada, principalmente pela calcinha que acaba indo parar nos pés. Com que cara ficar não é mesmo? Uma característica que dava uma pitada de fetiche em seu trabalho. Apesar de os artistas que desenhavam as belas pin-ups para calendários e outros fins, se utilizarem muito do realismo, Frahm costumava dar toques inusitados em suas obras, muitas vezes desenhando os objetos com uma certa despretensão, usando muita cor e, o mais importante, deixando-as em apuros!

Published in: on 25 de julho de 2010 at 3:13 am  Comments (2)  
Tags: ,

Pin-Ups Modernas – Dayna Delux

Dayna nasceu em uma pequena cidade do Texas (EUA) em 1977 e começou a trabalhar como modelo em Dallas, fazendo campanhas e desfiles. A bela modelo se tornou um nome muito cogitado no meio artístico, sendo fotografada para várias campanhas de moda, fazendo teatro, comerciais e pontas em filmes. Apaixonada por “make-up” (já trabalhou como maquiadora) pretende prosseguir com sua carreira de modelo. Apesar de ambiciosa, se diz uma ótima pessoa. Outra paixão que alimenta são os Hot Rods. Não tem como não ser linda com esses olhos e esse cabelo vermelho né? Gosto bastante dos ensaios dela, além de seguir a linha “Pin-up”, também são bem sensuais sem ser vulgar…

Published in: on 24 de julho de 2010 at 4:59 am  Comments (2)  
Tags: , ,

A Diva *Rita Hayworth* em Duas Atuações Fantásticas

Rita Hayworth é sem dúvida uma das nossas divas né? Para mim é muito difícil dizer quem é a preferida (depois da querida Louise Brooks…), porque todas eram mulheres maravilhosas, lindas, inteligentes, ótimas artistas, elegantes e divas. Rita era uma das mais sensuais, sabia utilizar sua beleza como poucas, cheia de caras e bocas. Olhar sedutor à parte, ela ainda era uma ótima atriz. Selecionei dois dos meus filmes preferidos onde, na minha opinião, a atriz tem suas melhores atuações:

 

Sangue e Areia (Blood and Sand) – 1941

Neste filme, Rita contracena com um gênio do cinema: Tyrone Power. Ele interpréta o toureiro juan, que se torna um dos nomes mais importantes da Espanha, resgatando a glória da sua família. Ele é casado com uma boa e bela mulher, seu amor de infância Carmen (interpretada pela maravilhosa Linda Darnell). Rita é claro, aparece como a Femme Fatale (Dona Sol) para acabar com o sossego do pobre rapaz. Na verdade, esse filme vale a pena por “N” motivos: pela bela Rita, pela interpretação dos atores que é fantástica, pela história que é muito comovente. Se não viu ainda, veja!!!

Gilda – 1946

Este é um clássico que dispensa comentários não é mesmo? Neste filme, Rita interpréta uma cantora de cabaré, Gilda, que se casa com um milionário. Quando é apresentada ao amigo do marido, Johnny Farrell (interpretado por Glenn Ford), seu passado volta à visitá-la, já que Johnny foi seu grande amor. O filme possui uma das cenas que entrou para a história do cinema: O famoso “Striptease”, onde Gilda retira apenas uma das luvas… Mas Rita Hayworth faz isso como ninguém! 

Published in: on 24 de julho de 2010 at 3:45 am  Deixe um comentário  
Tags: , ,

Edgar Allan Poe – *O Corvo*

O CORVO
(de Edgar Allan Poe – Tradução de Fernando Pessoa)

Numa meia-noite agreste, quando eu lia, lento e triste,
Vagos, curiosos tomos de ciências ancestrais,
E já quase adormecia, ouvi o que parecia
O som de algúem que batia levemente a meus umbrais.
“Uma visita”, eu me disse, “está batendo a meus umbrais.

É só isto, e nada mais.”

Ah, que bem disso me lembro! Era no frio dezembro,
E o fogo, morrendo negro, urdia sombras desiguais.
Como eu qu’ria a madrugada, toda a noite aos livros dada
P’ra esquecer (em vão!) a amada, hoje entre hostes celestiais –
Essa cujo nome sabem as hostes celestiais,

Mas sem nome aqui jamais!

Como, a tremer frio e frouxo, cada reposteiro roxo
Me incutia, urdia estranhos terrores nunca antes tais!
Mas, a mim mesmo infundido força, eu ia repetindo,
“É uma visita pedindo entrada aqui em meus umbrais;
Uma visita tardia pede entrada em meus umbrais.

É só isto, e nada mais”.

E, mais forte num instante, já nem tardo ou hesitante,
“Senhor”, eu disse, “ou senhora, decerto me desculpais;
Mas eu ia adormecendo, quando viestes batendo,
Tão levemente batendo, batendo por meus umbrais,
Que mal ouvi…” E abri largos, franqueando-os, meus umbrais.

Noite, noite e nada mais.

A treva enorme fitando, fiquei perdido receando,
Dúbio e tais sonhos sonhando que os ninguém sonhou iguais.
Mas a noite era infinita, a paz profunda e maldita,
E a única palavra dita foi um nome cheio de ais –
Eu o disse, o nome dela, e o eco disse aos meus ais.

Isso só e nada mais.

Para dentro então volvendo, toda a alma em mim ardendo,
Não tardou que ouvisse novo som batendo mais e mais.
“Por certo”, disse eu, “aquela bulha é na minha janela.
Vamos ver o que está nela, e o que são estes sinais.”
Meu coração se distraía pesquisando estes sinais.

“É o vento, e nada mais.”

Abri então a vidraça, e eis que, com muita negaça,
Entrou grave e nobre um corvo dos bons tempos ancestrais.
Não fez nenhum cumprimento, não parou nem um momento,
Mas com ar solene e lento pousou sobre os meus umbrais,
Num alvo busto de Atena que há por sobre meus umbrais,

Foi, pousou, e nada mais.

E esta ave estranha e escura fez sorrir minha amargura
Com o solene decoro de seus ares rituais.
“Tens o aspecto tosquiado”, disse eu, “mas de nobre e ousado,
Ó velho corvo emigrado lá das trevas infernais!
Dize-me qual o teu nome lá nas trevas infernais.”

Disse o corvo, “Nunca mais”.

Pasmei de ouvir este raro pássaro falar tão claro,
Inda que pouco sentido tivessem palavras tais.
Mas deve ser concedido que ninguém terá havido
Que uma ave tenha tido pousada nos meus umbrais,
Ave ou bicho sobre o busto que há por sobre seus umbrais,

Com o nome “Nunca mais”.

Mas o corvo, sobre o busto, nada mais dissera, augusto,
Que essa frase, qual se nela a alma lhe ficasse em ais.
Nem mais voz nem movimento fez, e eu, em meu pensamento
Perdido, murmurei lento, “Amigo, sonhos – mortais
Todos – todos já se foram. Amanhã também te vais”.

Disse o corvo, “Nunca mais”.

A alma súbito movida por frase tão bem cabida,
“Por certo”, disse eu, “são estas vozes usuais,
Aprendeu-as de algum dono, que a desgraça e o abandono
Seguiram até que o entono da alma se quebrou em ais,
E o bordão de desesp’rança de seu canto cheio de ais

Era este “Nunca mais”.

Mas, fazendo inda a ave escura sorrir a minha amargura,
Sentei-me defronte dela, do alvo busto e meus umbrais;
E, enterrado na cadeira, pensei de muita maneira
Que qu’ria esta ave agoureia dos maus tempos ancestrais,
Esta ave negra e agoureira dos maus tempos ancestrais,

Com aquele “Nunca mais”.

Comigo isto discorrendo, mas nem sílaba dizendo
À ave que na minha alma cravava os olhos fatais,
Isto e mais ia cismando, a cabeça reclinando
No veludo onde a luz punha vagas sobras desiguais,
Naquele veludo onde ela, entre as sobras desiguais,

Reclinar-se-á nunca mais!

Fez-se então o ar mais denso, como cheio dum incenso
Que anjos dessem, cujos leves passos soam musicais.
“Maldito!”, a mim disse, “deu-te Deus, por anjos concedeu-te
O esquecimento; valeu-te. Toma-o, esquece, com teus ais,
O nome da que não esqueces, e que faz esses teus ais!”

Disse o corvo, “Nunca mais”.

“Profeta”, disse eu, “profeta – ou demônio ou ave preta!
Fosse diabo ou tempestade quem te trouxe a meus umbrais,
A este luto e este degredo, a esta noite e este segredo,
A esta casa de ância e medo, dize a esta alma a quem atrais
Se há um bálsamo longínquo para esta alma a quem atrais!

Disse o corvo, “Nunca mais”.

“Profeta”, disse eu, “profeta – ou demônio ou ave preta!
Pelo Deus ante quem ambos somos fracos e mortais.
Dize a esta alma entristecida se no Éden de outra vida
Verá essa hoje perdida entre hostes celestiais,
Essa cujo nome sabem as hostes celestiais!”

Disse o corvo, “Nunca mais”.

“Que esse grito nos aparte, ave ou diabo!”, eu disse. “Parte!
Torna á noite e à tempestade! Torna às trevas infernais!
Não deixes pena que ateste a mentira que disseste!
Minha solidão me reste! Tira-te de meus umbrais!
Tira o vulto de meu peito e a sombra de meus umbrais!”

Disse o corvo, “Nunca mais”.

E o corvo, na noite infinda, está ainda, está ainda
No alvo busto de Atena que há por sobre os meus umbrais.
Seu olhar tem a medonha cor de um demônio que sonha,
E a luz lança-lhe a tristonha sombra no chão há mais e mais,

Libertar-se-á… nunca mais!

 

Edgar Allan Poe é um dos meus escritores preferidos. Adoro seus poemas e seus contos de terror como “A Queda da Casa de Usher” e ” O Gato Preto”, apenas para citar alguns. Viveu e morreu como o romântico e maldito que foi, o que não tira nem um pouco seu mérito como um dos nomes mais importantes da literatura americana e mundial. Em um trabalho de moda, usei este poema como inspiração, já que era uma coleção de inverno com temática gótica! Edgar sempre é uma ótima inspiração!!!

Published in: on 24 de julho de 2010 at 2:33 am  Deixe um comentário  
Tags: , , ,