Minha Musa Inspiradora: Louise Brooks

Em meio há tantos nomes que me servem de inspiração, seja da música, do cinema, da literatura enfim, entre todas as pessoas que merecem citação na minha lista imensa, Louise Brooks está no topo. Para mim é difícil dizer isso, já que muitas divas me inspiram sempre (Bettie Page, Marilyn Monroe…), mas sou fascinada pela Louise desde a primeira vez que a  vi (ainda era pequena… lá nos anos 80). Além de linda, a atriz era sexy, inteligente, misteriosa, dona de um gênio forte, dotada de determinação e muito à frente de seu tempo, mas muito mesmo.

Nasceu  Mary Louise Brooks em Cherryvale, Kansas (USA), no dia 14 de novembro de 1906. Desde muito pequena já flertava com o teatro. Aos 15 anos foi, sozinha, para Nova York ganhar a vida como artista. Participou de vários grupos de dança, dentre eles o “Denishaw Dance Company”. Se apresentando sempre com muito sucesso, Brooks faz seu primeiro filme em 1925: “The Street of Forgotten Men”. Muda-se para Hollywood, onde tem um contrato com a Paramount e onde participa de vários filmes (uma média de 28 em toda sua carreira). Mas Louise era temperamental, não aceitava ordens tão facilmente e só fazia o que queria. Quando o aumento de salário que havia solicitado não foi atendido, ela foi para a Alemanha gravar um dos filmes que entraria para a história do cinema: The Pandora´s Box (A Caixa de Pandora – 1928).

A rebeldia rendeu à Louise muitos problemas. Quando voltou à Hollywood em 1929, não quis dublar uma atriz em um filme (era o fim do cinema mudo), o que deixou os donos do dinheiro furiosos. Eles espalharam muitos boatos sobre ela, o que fez com que sua carreira entrasse em declínio e ela fosse esquecida pelos grandes estúdios. A atriz chegou a trabalhar em alguns projetos, mas não com o mesmo sucesso. Para viver, Louise escrevia e participava de projetos menores em rádios. Foi até vendedora de roupas, dá para acreditar? Com poucos amigos passou a viver reclusa. Chegou a escrever sua biografia, mas ao chegar ao fim rasgou… Louise Brooks faleceu em Nova York, no dia 08 de agosto de 1985, vítima de um ataque cardíaco.

Ela foi uma mulher moderna, que fazia o que tinha vontade, que se recusava a obedecer ordens e viver a mercê dos donos do poder Hollywoodiano. Casou-se duas vezes (mas não teve filhos), teve relacionamentos tórridos (o mais famoso com Charles Chaplin) e não tinha vergonha de nada, era autêntica, fato que incomodava as pessoas. Para mim ela sempre será uma diva, uma inspiração de beleza e comportamento a ser seguido…

Um grupo de Synthpop dos anos 80, o Orchestral Manoeuvres in The Dark (OMD), gravou um música linda em homenagem a Louise:

“Pandora’s Box”

Nascida no Kansas

Em um lugar comum

Fugiu para Nova York

Mas fugiu da fama

Apenas dezessete anos

Quando todos os seus sonhos

Se tornaram realidade

Mas tudo que você queria

Era alguém para lhe despir

E todas as estrelas que você beijou

Nunca poderiam aliviar a dor

Mas mesmo assim a graça permanece

O rosto pode ter mudado

Mas você continua a mesma

E esta longe, muito longe

De onde você gostaria de estar

E é uma longa, longa estrada (muito longa)

Mas você esta cega e não vê

Com medo do silencio

De uma divindade inocente

Existe uma criação perigosa

Quando você falha no teste do tempo

E todas as fotografias de fantasmas do passado

Ainda te ferem tanto

Não a deixarão em paz

E você ainda não sabe

Quando você olha ao seu redor agora

Você reconhece a garota?

Aquela que partiu mil corações

Aterrorizou o mundo

E todas as estrelas que você beijou

Nunca poderiam aliviar a dor

E se o rosto mudou

A graça permanece

E você continua a mesma

“Ao Escrever a história de uma vida acho que o leitor não pode entender a personalidade e os feitos de uma pessoa, a menos que sejam explicados os amores, ódios, e conflitos sexuais dessa pessoa. Não estou disposta a escrever a verdade sexual que tornaria minha vida digna de ser lida.”

                                                                                                                    Louise Brooks

Published in: on 19 de julho de 2010 at 3:43 am  Deixe um comentário  
Tags:

♥ ♥ Os Loucos Anos 20 ♥ ♥

 

 

Realmente eu nasci na época errada! São três as décadas que aprecio demais e que me servem de referência em muitos aspectos da minha vida: As roupas que uso, as músicas que ouço, o que leio, os filmes que vejo, o corte de cabelo etc. Enfim, 90% das coisas que amo são dessas décadas: 20, 50 e 80. 

Por isso, vou falar um pouco desta bela época que foi a década de 1920. Esta com certeza é uma das minhas grandes paixões. Foram anos de liberdade e prosperidade. O termo “loucos anos 20” tem um motivo de ser: Após a primeira guerra mundial, as pessoas queriam esquecer todo o caos e sofrimento causados pela guerra e aproveitar o que a vida tinha de melhor para oferecer: Arte, teatros, filmes, mulheres independentes, muita música e festas!! 

Uma época animada pelo Jazz e pelas melindrosas, mulheres modernas da época, que frequentavam os salões e traduziam em seu comportamento e modo de vestir o espírito da também chamada Era do Jazz. 

Historicamente, muitos fatos marcaram a década de 20 (citando apenas os que achei mais interessantes): 

Quebra da Bolsa de Nova York em 1929

 

  • A quebra da bolsa de Nova York em 1929, que gerou uma grande depressão em todo o país
  • A lei seca entra em vigor nos Estados Unidos
  • Também nos Estados Unidos, as mulheres finalmente conseguem o direito de voto, em 26 de agosto de 1920.
  • O rádio passa a se tornar popular na América e na Europa
  • As mulheres se tornam mais independentes e passam a trabalhar. Outro fato importante é que as mulheres deixam de vez o espartilho de lado e passam a usar roupas mais leves, facilitando a vida.
  • Em 26 de novembro, os arqueólogos lorde Carnavon e Howard Carter encontram a tumba do faraó Tutankhamon.
  • A escola de Arte Bauhaus está no auge, expondo trabalhos de artistas como Walter gropious e Wassily Kandinski
  • Ascensão do Partido Nazista na Alemanha com Adolf Hitler

Tudo isso sem contar os importantes acontecimentos no meio artístico: 

  • Charles Chaplin é um sucesso no cinema

 

  • Começaram a produzir os primeiros filmes falados
  •  A arte moderna ganha força com vários nomes importantes na arte e na arquitetura

Walter Gropius, fundador da escola de arte Bauhaus

Wassily Kandinsky, grande artista modernista e professor da Bauhaus

 

  • O movimento de Art Déco está no auge, ditando regras em matéria de Design de móveis, propagandas e nas artes gráficas em geral.

Art Déco

Art Déco

 

  • Escritores como James Joyce, Herman Hesse, Thomas Mann e Scott Fitzgerald lançam grandes clássicos.
  • A música negra ganha força, com o Jazz, o foxtrot e o Blues. Artistas negros como Bessie Smith se destacam.

Uma das grandes paixões desta década é a música, quem quiser saber um pouco mais sobre o assunto, pode acessar meu blog de música: Mundosonoro00 . Lá você vai encontrar posts sobre Blues e Jazz. 

♥ Ícones 

Essa época maravilhosa também nos deixou grandes estrelas, principalmente no cinema, que estava no seu auge (e nunca mais deixou de fazer sucesso, graças a Deus). Grandes artistas fizeram sucesso na música, no cinema, nas artes, no ballet, na moda. Claro que não daria para listar todos, então tentei me deter apenas nos principais nomes do período ok? Detalhe importante: Muitos destes artistas já haviam iniciado suas carreiras antes da década de vinte e, a maioria, continuou fazendo sucesso nas décadas seguintes.   

 

 
 

♥ Gloria Swason

♥ Josephine Baker

♥ Mary Pickford

♥ Clara Bow

♥ Louise Brooks

♥ Joan Crawford

♥ Buster Keaton

♥ Douglas Fairbanks

♥ Tyrone Power

♥ Rudolph Valentino

♥ Moda 

A moda teve vários nomes importantes como Paul Poiret e Madeleine Vionnet que revolucionaram a moda no início do século XX. Mas na década de 1920, além desses mestres da costura, três nomes foram imprescíndiveis para formar a moda como a conhecemos hoje. Gênios da moda à altura dos grandes mestres da arte, pois era isso que eles faziam: Arte! 

 
 
 

♥ Elsa Schiaparelli

♥ Coco Chanel

♥ Jean Patou

Amo a moda desta época! Mulheres elegante, confortáveis, com cabelos “La Garçonne”, maquiagem forte e, principalmente, atitude. A moda sempre esteve ligada à transformações sociais, distinguindo classe, idade, momento. A moda da década de 1920 não é diferente. Para nós mulheres, foi uma década muito importante para a emancipação feminina. As “melindrosas” são um ótimo exemplo das mulheres desta época! 

 

♥ Croquis 

 

 

♥ Chapéu Cloche

 

♥ Maquiagem

♥ Colar de Pérolas

♥ Atualidade

 

É claro que não dá para falar de tudo aqui. Precisaria de um blog só para a década de 1920 de tanto assunto importante, assim como todas as outras décadas. Mas espero que eu tenha conseguido ser concisa e passar as informações mais importantes, já que o foco era a arte e a moda! ;D

 

Published in: on 6 de fevereiro de 2010 at 3:25 am  Comments (2)  
Tags: , , , , , , , , ,