Revista Zupi 23 e a Artista Tara McPherson

Sou apaixonada por artes plásticas em geral e adoro a estética contemporânea de ilustração e, principalmente, do graffite. Já falei sobre o tema aqui algumas vezes, sempre quando coincide de o artista em questão também ser adepto da cultura retrô em seus trabalhos. É o caso da Tara McPherson. Lendo a revista Zupi número 23, me deparei com os trabalhos desta artista americana e foi amor à primeira vista:

Nascida na Califórnia, mas morando em Nova York atualmente, Tara é uma artista com curriculo invejável: Todas as suas  obras são feitas a mão, a maioria com tinta óleo. Ela já produziu pôsters e capas de álbuns para artistas como Depeche Mode, Green Day, The Hives, mas seu sonho é realizar trabalhos inspirados no Joy Division e David Bowie. Além de expor seus trabalhos em várias galerias do mundo, a artista também já assinou alguns títulos de quadrinhos do selo VERTIGO da DC Comics e também trabalha com publicidade. Ela é representada pela Ela é representada pela Galeria Jonathan LeVine de NY, a mesma que representa outros artistas do movimento Pop Surrealista contemporâneo como Mark Ryden, Gary Baseman e Tim Biskup (já falei do Mark Ryden aqui).

Personagens femininas prevalecem em seus trabalhos, uma mistura de surrealismo macabro e doçura, que agrega experiências próprias sobre relacionamentos em um universo recheado de figuras sombrias e dóceis. Sem contar que a artista é linda, super estilosa e tatuada, combinando perfeitamente com suas obras!!!

Published in: on 21 de julho de 2011 at 4:04 pm  Comments (6)  
Tags: ,

*Man Ray* – Gênio Como Este Nunca Mais

*Man Ray em 1934*

“Em lugar de pintar pessoas, comecei a fotografá-las, e desisti de pintar retratos ou melhor, se pintava um retrato, não me interessava em ficar parecido. Finalmente conclui que não havia comparação entre as duas coisas, fotografia e pintura. Pinto o que não pode ser fotografado, algo surgido da imaginação, ou um sonho, ou um impulso do subconsciente. Fotografo as coisas que não quero pintar, coisas que já existem.”

Essas palavras foram ditas por Emanuel Rudzitsky, mais conhecido como Man Ray, famoso fotógrafo norte-americano. Nasceu na Filadélfia no dia 27 de agosto de 1890 e, em 1897, mudou-se com a família para Nova York, mais precisamente para o Brooklyn, fato que seria decisivo para a sua carreira alguns anos depois.

*Fotografia de Man Ray*

Man Ray foi um artista completo: estudou arquitetura, engenharia, artes plásticas e fotografia. Foi em Nova york, em 1915, que conheceu o famoso pintor francês Marcel Duchamp,com quem fundou o grupo Dadá Nova-iorquino. Além do dadaísmo, Man Ray também flertou com outros movimentos como o surrealismo, fato que ocorreu depois de sua mudança para França, em 1921. Foi um dos grandes nomes da vanguarda artística na década de 1920. Apesar de ser apaixonado pela pintura, seu grande mérito foi com a fotografia. No início de sua carreira, Man Ray passou a  trabalhar com fotografia para financiar a paixão pela pintura, mas acabou se tornando um grande mestre da fotografia. Desenvolveu uma técnica chamada raiografia, onde criava imagens abstratas expondo objetos à luz, colocados sobre papéis fotográficos. Outra técnica muito conhecida utilizada por ele é a solarização, que utilizava para inverter os tons  da fotografia.

Em 1940 Man Ray volta a morar nos Estados Unidos, mais precisamente na Califórnia, onde passa a ensinar as técnicas de fotografia desenvolvidas por ele. Retorna à França em 1946, onde passa o resto de sua vida e onde morreu, no dia 18 de novembro de 1976, com 86 anos.

Man ray foi um apaixonado pela arte como forma de expressão. Adorava a pintura, o desenho, a fotografia, a escultura e se utilizava de elementos cotidianos em suas obras. O trabalho deste mestre me fascina! Sou apaixona por várias de suas obras, mas a minha preferida é esta:

Acho essa fotografia maravilhosa e mais expressiva do que qualquer outra!

Além de toda a sua criatividade e de sua importância para o mundo da Arte, suas fotografias são de épocas deliciosas, como a década de 1920, já que Man Ray passou e fotografou várias décadas fantásticas.

Published in: on 12 de janeiro de 2010 at 1:44 am  Deixe um comentário  
Tags: , , ,