Inked Brasil Número 4

Faz tempo que quero falar sobre esta publicação aqui no blog! A Inked americana todo mundo já conhece: Belas fotografias, entrevistas bacanas com pessoas que curtem e vivem o universo da tatuagem, além de tratar de temas super legais como música, cinema, biografias etc. Agora (ou melhor, há alguns meses…) temos a versão nacional que não deixa a desejar. Claro que muito do material publicado aqui no Brasil apenas é traduzido da versão original, mas a revista traz entrevistas e ensaios muito legais como, por exemplo,  a da última edição que tem na capa a Penélope Nova (a revista é bimestral, a edição número 4, última nas bancas é de fevereiro/março):

Além disso, esta edição está recheada de coisas que eu curto bastante: A bebida da edição é a tequila, o vocalista da minha banda de rockabilly preferida “Crazy Legs”, o Caio Durazzo, dá dicas sobre Paris e a musa Sabina Kelley está em um ensaio lindo:

Além de fotos de pessoas super tatuadas:

Eu aprovei e já é uma das minhas revistas preferidas!

Published in: on 1 de março de 2011 at 9:16 pm  Comments (1)  
Tags: , , ,

Contos de fadas Tatuados

Estou sempre pesquisando desenhos de tatuagens. Tenho várias ideias para tatuar e, como ainda tenho espaço no corpo, sempre tenho algum desenho que gostaria de fazer, mas é claro que não dá para tatuar tudo né? Um tema que resulta em tatuagens fantásticas são os contos de fadas. Tenho muita vontade de fazer algum personagem que adoro, mas ainda não decici qual  nem onde, eu amei estas:

Amei essas tatuagens e a vontade de fazer alguma parecida cresceu, mas não vou contar né? Se um dia fizer mesmo eu mostro…rsrsrs

Published in: on 19 de julho de 2010 at 5:07 am  Comments (1)  
Tags: , , , ,

Tatuagem: Marginalidade ou Arte?

Gente, esta foi uma curta reportagem que fiz para um trabalho da faculdade! Faço jonalismo e, sempre que possível, escolho temas relacionados ao meu universo: Rock, tatuagem, pin-ups, moda, cultura alternativa e underground para as minhas reportagens! Desta vez não foi diferente. Escolhi falar de como a tatuagem está ganhando cada vez mais espaço na nossa sociedade e como ela sempre foi um tipo de arte presente na nossa história! Espero que apreciem! Beijokas…

Tatuagem: Marginalidade ou Arte?

A tatuagem é uma forma de modificação e arte corporal. Trata-se de fazer um desenho na pele utilizando pigmentos e agulha, fazendo com que esta figura fique permanentemente sobre a pele. Esta é uma técnica milenar entre os seres humanos. É possível constatar, através de explorações arqueológicas, que o homem já pintava o corpo desde a pré-história.

Povos como os egípcios (4.000 A.C.), os Vikings e os nativos da Polinésia, Filipinas, Indonésia e Nova Zelândia (Maori) já tatuavam seus corpos em rituais religiosos e sociais, para se defenderem de espíritos ruins ou para demonstrarem coragem perante seus inimigos. Outros povos antigos como os índios americanos, os maias, os aborígines e os japoneses também marcavam seus corpos com tatuagens.

Ao longo da nossa história, a tatuagem sempre assumiu papéis diferentes. Já foi símbolo de beleza, bravura e respeito mas também foi sinônimo de marginalidade. O contato do ocidente com a tatuagem foi no século 18. Com as grandes navegações e explorações, os marinheiros traziam novas descobertas do pacífico, entre elas a arte da tattoo. Virou moda entre a realeza inglesa mas nunca perdeu seu estigma marginal. A tatuagem sempre foi associada aos marinheiros, portos repletos de prostitutas e drogas.

Por isso, quem se tatuava era considerado marginal, sofrendo duras penas que chegavam até a morte. Nos últimos anos, a arte da tatuagem ganhou respeito e admiração. Hoje em dia é muito comum pessoas com tatuagens, grandes ou pequenas. A arte corporal caiu no gosto das classes mais altas e virou uma espécie de ‘moda’. Não no sentido de novidade, mas sim de aceitação por parte da sociedade. Ela saiu da clandestinidade para ganhar as ruas.

Neste novo século, a tatuagem ultrapassa barreiras sociais, e podemos ver pessoas mais velhas, que sempre tiveram vontade de fazer uma tatuagem  quando jovens e não tinham coragem, frequentando estúdios com seus filhos e netos. O preconceito ainda existe, mas bem reduzido. Muitas pessoas tem na tatuagem, uma forma de expressão artística única, já que é uma arte muito pessoal e marcada na pele para sempre. Muito deste reconhecimento se deve ao trabalho de grandes artistas que criam verdadeiras obras de arte : Os tatuadores.                                 

  

Leo Tressino é um desses artistas. Tatuador há mais de oito anos, escolheu a profissão porque vê a tatuagem como arte. Leo conta que tatua em média 10 pessoas por semana, mas que prefere a qualidade em vez da quantidade. “Isso varia muito de cada tatuador. Acho que o mais coerente é dar uma atenção especial para cada desenho, para fazer um belo trabalho e sim mostrar a arte que é a tatuagem, muitos tatuadores nãos se importam com isso, prejudicando quem trabalha com seriedade.” conta ele. O tatuador concorda que o preconceito em relação à tatuagem diminuiu.

O Tatuador Leo Tressino

 “Em países de primeiro mundo é muito comum ver pessoas com tatuagens bem visíveis, inclusive em cargos importantes em seus trabalhos. No Brasil ainda tem muito aquele papo de ‘vou fazer mas em um lugar escondido por causa do meu trabalho’. Besteira isso, as próprias pessoas criam o preconceito sendo que o que vale realmente é seu caráter e sua experiência profissional”, comenta Leo. Segundo ele, a faixa etária de seus clientes é de 18 a 30 anos, mas o público mais velho tem aumentado também.

Contatos Leo Tressino:

SICK ‘N SILLY TATTOO STORE Al Jaú, 1529 – Jardins –SP    Tel: (11) 3081 3899

leotattoo@sickmind.com.br / www.myspace.com/leotattoo

www.fotolog.com.br/leotattoo

Viviane Ferreira

As tatuagens costumam assumir papéis importantes na vida das pessoas. Quem faz uma tatuagem, geralmente busca representar algum fato marcante. É o caso da estudante de jornalismo Viviane Ferreira. Ela optou por fazer sua tatuagem para cobrir uma cicatriz. “A minha primeira tatuagem é de uma cerejeira, que têm um significado interessante para os asiáticos – simboliza a vida. E a Deusa do anime ‘Oh my Goddess’, a ‘Belldandy’. Foram várias sessões para definir qual desenho esconderia a cicatriz da minha perna esquerda”. Viviane observa também que, mesmo nos dias de hoje, ainda existe certo preconceito em relação a tatuagens. “Já passei por situações desagradáveis de alguém comentar de forma pejorativa. Claro que não é legal, e dá vontade de responder, mas aí você releva e pronto. Na próxima esquina já terá outro elogiando e te parando para perguntar onde você fez e achando linda”,

Alexandre Mapeli

O livreiro Alexandre Mapeli fez sua primeira tatuagem aos 22 anos. Para ele, todas possuem significados importantes e representam fatos importantes de sua vida. “Sempre tive um certo fascínio por tatuagens mas demorei muito tempo para decidir fazer uma e escolher o desenho. Em primeiro lugar pela reação da minha família e em segundo porque queria fazer algo com significado e não um desenho qualquer. Minha primeira tatuagem foi uma imagem de um Mjölnir, ou mais conhecido como Martelo de Thor (filho de Odin na mitologia nórdica) que simbólicamente tinha muito significado em minha vida.”, afirma ele. 

Alexandre faz de suas tatuagens uma forma de expressão, já que os desenhos representam um pouco de seu universo. Ele possui tatuagens que retratam seu gosto musical underground, tendo tatuado o símbolo da banda ‘Einsturzende Neubauten’ ,  suas crenças no paganismo europeu e na cultura nórdica.

 

  Dicas Para Marinheiros de Primeira Viagem

•Pense bem antes de fazer uma tatuagem para não se arrepender depois.

•Procure um profissional com boas referências, já que é um trabalho irreversível apesar do tratamento a laser.

•Siga a risca todos os cuidados apontados pelo tatuador para que a sua tatuagem cicatrize perfeitamente.

•Tatuagem exigem cuidados posteriores: Use sempre protetor solar, não fique muito tempo com a tatuagem exposta ao sol, sempre passe hidratante na pele.

•Em uma sessão de tatuagem a dor e o nervosismo podem causar mal-estar. Então procure dormir bem e se alimentar corretamente antes de uma sessão.

  Curiosidades

•Os pioneiros modernos da tatuagem foram Sailor Jerry e Cindy Ray.

•A Múmia mais antiga do mundo foi encontrada em 1991, na Itália e data de 5.300 A.C. Ela conservou-se congelada em um bloco de gelo e tinha tatuagens acompanhando toda a espinha dorsal, além de uma cruz numa das coxas e desenhos tribais por toda a perna.

•A palavra tatuagem (tattoo em inglês) tem sua origem em línguas polinésias. Vem da palavra ‘Tatau’.

•Antigamente, as tatuagens eram feitas com ossos finos como agulhas e um martelinho para introduzir a tinta na pele.

Marginal ou não, com certeza é uma arte!!!

Published in: on 9 de maio de 2010 at 6:13 pm  Comments (3)  
Tags:

*Snoopy* – Mestre em Pin-ups

*Tattoo By Snoopy*

No último post sobre tatuagens eu disse que faria um post especial sobre as lindas tatuagens de pin-ups lembram? Pois é, estou cumprindo a minha promessa! As tatuagens com os desenhos de pin-ups são maravilhosas, mas claro que só se forem feitas por alguém que sabe o que está fazendo. Então, para mostrar um pouco da sua arte, e mostrar o que é uma pin-up bem feita, escolhi meu querido tatuador, o “Snoopy”. Ele com certeza está entre os melhores tatuadores do país e vocês verão o porquê!!! Acompanhem a entrevista que fiz com ele:

*O Querido Snoopy*

* Miss Little Cherry: Há quanto você tempo trabalha com tatuagem e como começou?

* Snoopy: Trabalho com tatuagens há mais de 20 anos. Comecei como ajudante de estúdio da Medusa (hoje em Brasília) fazendo pequenos serviços pra ela, e foi ela tamém que  fez a minha primeira tatuagem aos 13 anos…na época foi um presente de aniversário da minha mãe.

*Pin-up By Gil Elvgren*

*Tattoo by Snoopy*

* Miss Little Cherry: Como foram os primeiros trabalhos de pin-ups?

* Snoopy: Sou fascinado pelo corpo e expressões femininas, curto muito desenhá-los. As pin-ups são uma extensão deste trabalho. As primeiras pin-ups levavam horas a fio e muitas sessões para serem realizadas devido aos detalhes e as dimensões dos rostos mãos e, a cada uma que fazia, ia depurando e aprimorando minha técnica. Já fiz tantas e de tantos estilos que perdi a conta mas os melhores trabalhos sempre são as do grande mestre Gil Elvgren, que tem uma riqueza na execução das pinturas incríveis o que torna a reprodução destes trabalhos um grande desafio.

*Pin-up de Gil Elvgren*

*Tattoo By Snoopy*

* Miss Little Cherry: Quais são as principais dificuldades para tatuar pin-ups?

* Snoopy: As dificuldades são muitas pois são desenhos que parecem ser simples mas exigem muita atenção e disciplina na hora de tatuar. São desenhos geralmente com muita sombra e luz e uma infinidade de cores e tons. Deve-se ficar bem atento a isso e ter muita paciência para a realização. Gosto de fazê-las quando estou bem-humorado e relaxado. Como tenho uma procura grande por este tipo de trabalho, é sempre bom estar bem para fazer o melhor.

* Miss Little Cherry: Como você definiria o seu estilo de tatuagem em relação às pin-ups? Tem algum detalhe que você costuma colocar nos seus desenhos?

* Snoopy: Num faz pergunta difícil (risos). É complicado falar de estilo, pois estou sempre tentando aprimorá-lo, a reprodução é uma arte complicada pois você tem que tentar reproduzir o que o artista da obra quer passar mas da sua maneira e sem fugir a ideia original. Danylo Stefan faz muito bem isso. Ele tem um estilo próprio, todo cheio de hachuras. O meu estilo entra acredito eu no clássico, uma aplicação bem carregada e com degrades bem suaves, o que torna o trabalho mais leve pelo fato de eu ser um tatuador mais antigo mas com técnicas um pouco mais apuradas. Tenho que fazer isso para manter o nome no mercado não pelo tempo de trabalho, mas sim pela qualidade dele. É difícil acompanhar o pessoal mais novo que não tem “vícios” de trabalho. Minha geração teve que aprender muita coisa na marra e na pancada, não tínhamos informação, material decente e criamos muitos desses vícios que, com o tempo, não conseguíssemos fazer com que as características dos trabalhos mudem.

Procuro sempre diferenciar ou marcar meu trabalho com fundos das mais variadas cores e que façam destacar o tema principal. Acrescento um brilho aqui, uma sombra ali, abaixo ou aumento os tons de pele, chego ate mesmo a mudar o tom, mudo a cor do cabelo, da roupa qualquer coisa que faça o trabalho “mudar” do original sem perder suas características e originalidade.

*Tattoo By Snoopy*

Bom, sempre quis tatuar uma pin-up, mas tinha medo de como pudesse ficar, já que é um trabalho tão difícil de fazer. Depois que uma amiga me apresentou o Snoopy, e depois de ver o seu trabalho, criei coragem.

Foi muito difícil de escolher, pois todas as pin-ups do mestre Elvgren são lindas. Optei por esta, pois além de ser maravilhosa, adoro bruxas:

Ainda faltam pequenos detalhes, mas olhem como minha tattoo ficou linda! Me apaixonei por ela!!! Fizemos algumas modificações para que fosse única.

*Minha Pin-up By Snoopy Tattoo

Contatos:

Orkut Perfil I

Orkut Perfil II

MySpace 

Fotolog

Published in: on 12 de janeiro de 2010 at 5:02 am  Comments (2)  
Tags: , , , ,

*Tatuagem* Também é coisa de Pin-up

 

Eu sou apaixonada pelo mundo das tatuagens, desde as tattoos feitas na década de 1950 por Sailor Jerry e Cindy Ray até as dos nossos dias. Gosto de todo tipo de tema para tatuagem das orientais até as do tema  Old School, mas todas precisam ser bem feitas. Para eu tatuar, eu prefiro as de referências vintage e pin-up! Lembra da postagem sobre signos que remetem à cultura pin-up? Cerejas, cupcakes, andorinhas, laços… Esses ícones também servem de inspiração para as tattoos das moçoilas que admiram o estilo retrô!!!

Outros itens também são apreciados: Rosas, personagens infantis e de contos de fada como a Branca de Neve e a Betty Boop, Maçãs, morangos, corações e outros. Muitas das pin-ups e rockers são tatuados. Coloridas e delicadas, de vários estilos diferentes! Olha só como elas ficam fofas:

 

Ah, existe outro desenho que adoramos tatuar: “Pin-ups”.

Isso mesmo, os desenhos dos grandes mestres ficam lindos tatuados. Mas claro que se for feita por um tatuador fantástico né? Aguardem, estou preparando um post para falar das tatuagens das belas pin-ups!!

Published in: on 5 de janeiro de 2010 at 6:53 pm  Comments (1)  
Tags: , , , , , ,

Cindy Ray – A Primeira Musa dos Tatuados

Cindy Ray

Muito antes de Kat Von D nascer, o universo tatuado já tinha a sua musa. Seu nome?? Cindy Ray.

Cindy era australiana e sempre foi uma garota comum, uma modelo sem muita expressão. Mas tudo isso mudou no fim da década de 50, mais precisamente em 1959, quando o fotógrafo Harry Bartram ofereceu um bom pagamento à Cindy (cujo nome verdadeiro era Bev Robinson) para que ela tatuasse o corpo. Deve ter sido uma decisão difícil, já que naquela época o preconceito contra tatuagem era muito maior e as mulheres ainda buscavam independência. Mas ela aceitou e, pelo visto, foi amor a primeira agulhada. Cindy Ray tatuou praticamente todo o corpo e se tornou tatuadora. Além disso, ela virou referência para tatuadores e tatuados. Depois de suas tatuagens, ela ficou muito mais famosa do que jamais havia sido como modelo. Ela posava para muitas fotos e sempre se correspondia com os seus fãs. Sempre trabalhou duro para pagar suas contas e o dinheiro como tatuadora era de grande ajuda. Apesar de seu estilo de vida inusitado e adiantado para sua época, Cindy Ray sempre esteve envolvida no mundo das tatuagens e nunca deixou de ter uma vida normal.

Seu nome foi e ainda continua sendo muito usado para o comércio de produtos para tatuagem, mas Cindy foi quem menos lucrou com este comércio.

                                    

Published in: on 29 de dezembro de 2009 at 5:21 am  Deixe um comentário  
Tags: ,